Image Map

COMO SE TORNAR UM PROCRASTINADOR E JOGAR SUA VIDA FORA EM SEIS PASSOS SIMPLES




Nos anos 40, o psicólogo americano Abraham Maslow desenvolveu uma teoria sobre os seres humanos. Ele criou uma hierarquia de necessidades, na qual as do nível mais baixo precisavam ser satisfeitas antes das do nível mais alto. Ao completar a pirâmide, o indivíduo encontraria a auto-realização. Em pessoas normais, a pirâmide das necessidades era assim:


Porém, em algumas amostras, Maslow encontrou indivíduos cuja hierarquia era diferente:


Hoje, a psicologia moderna consegue identificar qual é o tipo que forma essa segunda amostra. São os procrastinadores. Não é preciso ter uma disposição naturalmente preguiçosa para se tornar um deles. Com esforço e dedicação, qualquer ser humano é capaz de se tornar um peso morto para a sociedade.

Se você está cansado de ter uma vida funcional, não se desespere. É possível escapar da auto-realização adotando um estilo de vida procrastinador. Em primeiro lugar, gostaria de avisar que procrastinar não é uma tarefa fácil, pois requer muito esforço. Tudo vai estar se desmoronando ao seu redor, mas você vai ter que tirar forças dentro de você para continuar!

Siga os seguintes passos para garantir que você passe resto da vida não fazendo absolutamente nada de produtivo, até a chegada de uma morte tranquila por sufocamento causado pelo gás tóxico que emana louça suja – acumulada durante um período de três meses porque você estava ocupado demais reatualizando compulsivamente a sua descrição no perfil do OkCupid.


Algumas pessoas podem cometer o engano de achar que procrastinadores são pessoas pouco ambiciosas. Na verdade, a procrastinação floresce a partir de metas. Se você não tem objetivos a cumprir, não tem o que procrastinar. O verdadeiro procrastinador é obcecado com produtividade. Todo dia começa com uma lista de afazeres, se passa com uma contagem obsessiva de horas, e termina com culpa e arrependimento.

Bom, eu tenho 24 horas, então posso reservar oito, não, sete, assim sobra mais tempo, ou melhor, seis delas para dormir. No tempo restante, gasto quatro horas assistindo minhas aulas, mais uma hora no trânsito, mais duas horas naquele filme que eu realmente preciso ver, e tem aquele livro que vai me ajudar muito na minha tese, e preciso cozinhar, e ligar na operadora para saber porque cortaram meu 3G.

A conclusão lógica é – já que não tenho tempo para fazer tudo, não vou fazer nada. Passo quinze horas vendo besteiras na Internet, vou dormir de madrugada, tenho cinco horas de sono e inevitavelmente chego atrasada na aula.


Primeiro, você deve começar com o Facebook, que é indispensável nessa missão. No Facebook, você consegue acompanhar fotos de pessoas sendo mais bonitas, bem sucedidas e se divertindo mais do que você. Isso faz você:

1) se sentir um lixo incapaz de produzir qualquer coisa de positiva para sociedade, o que

2) te desmotiva a tentar fazer algo além de clicar para ver mais imagens de pessoas sendo melhores do que você, e portanto

3) te transforma em um lixo incapaz de produzir qualquer coisa de positiva para sociedade.

O Facebook também permite que você envie várias mensagens para pessoas pelas quais você está doentiamente apaixonado (vide o segundo item dessa lista). Essas mensagens, obviamente, serão ignoradas ou só respondidas após três lunações.

Conversar compulsivamente no chat garante que você sempre terá algo mais importante para se preocupar do que os corres que tem fazer, as matérias que deve estudar e o emprego que você precisa procurar. Suas mensagens devem sempre soar dramáticas, desesperadas e narcisistas. Isso diminui as chances de obter uma resposta e aumenta o nível de ansiedade até o desejado para provocar paralisia total.

O Twitter pode ser utilizado para comentar sobre as notícias úteis que você leu no Facebook – Esse cachorro reencontrou o dono após 40 anos e o que aconteceu vai te surpreender, emocionar e resgatar seu senso de dignidade como ser humano –, reclamar sobre as pessoas ingratas que você ama e estão te ignorando no chat, e relatar suas ações diárias para o público interessado (ninguém). 



Após preencher o espaço em branco com 120 caracteres, você obterá o senso de realização que deveria adquirir ao completar tarefas úteis como revisar a matéria para prova, ver um filme ou escovar os dentes.

Apps de relacionamento, como Tinder, Happn, Grindr e OkCupid! também são extremamente necessários nessa jornada. Neles, você vai conhecer pessoas mais ou menos bonitas e indisponíveis que vão te levar para o grau mais alto de obsessão e loucura. Além disso, você vai passar bastante tempo preenchendo e atualizando seu perfil com frases engraçadinhas que expressem de forma absoluta a pessoa que você gostaria de ser e selfies que escondam o quanto seu nariz é torto.

Muito tempo pode ser gasto conversando com rapazes até descobrir que eles apoiam a pena de morte e acham que supremacismo branco é “interessante”. Sem contar que existe algo de terapêutico em mexer o dedo para esquerda repetidamente enquanto você encara imagens de homens posando sem camisa ou em frente a um tanque do Exército Militar.

Outros aplicativos recomendados por procrastinadores experientes são Instagram, Snapchat e  WhatsApp – entre no maior número possível de grupos, assim você receberá muitas mensagens cuja leitura poderá procrastinar.


Nenhum homem é uma ilha, certo? É nesse momento em que a ajuda externa das pessoas mais ou menos bonitas e indisponíveis mencionadas no item acima se torna crucial. Um aspirante que deseja atingir o nível mais alto da procrastinação precisa estar preparado para fazer sacrifícios. Um deles é abdicar da sanidade mental e se submeter ao sentimento mais excruciante já inventando pela desgraçada mente humana: a paixão.

A paixão é uma reação química que ocorre no seu cérebro quando uma pessoa de aparência mediana e inteligência razoável visualiza uma mensagem sua e não responde. Nesse momento, o ego ferido aciona um canal no seu córtex, liberando hormônios que fazem você sentir que "precisa" daquele indivíduo para "recuperar" seu senso de completude (que jamais existiu: você nunca se sentiu completo e nem vai se sentir).

A vítima dessa doença passa o seu tempo atualizando o perfil das redes sociais (vide item 1) do objeto de desejo, das últimas três ex-namoradas dele e da menina que apareceu numa selfie com ele em 2012; pesquisando informações íntimas sobre a vida dele no Google (lugar de colocação na lista de aprovados do vestibular, perfil do Blogger de 2009, comentários em fóruns de jogos de RPG); e confabulando fórmulas para abordá-lo e conquistá-lo com vivacidade e uma personalidade interessante – características que ela perdeu completamente após dedicar os últimos dois meses a pensar somente neste indivíduo em vez de fazer coisas produtivas.

Mas a pessoa mais indisponível pela qual você deve estar apaixonado é você mesmo. O amor-próprio deve ser cultivado acima de tudo. Mas ele não é voltado para o saco de carne que está lendo este artigo, ele é voltado para o ser etéreo e ideal que ele gostaria de ser. Uma obsessão por si mesmo é não só bastante saudável como necessária para manter o hábito de procrastinação. Passe boa parte do seu dia relendo e deletando tuítes e pensando em todas as coisas que você queria fazer/ter/ser e não faz/tem/é.


Séries te suspendem do espaço-tempo e sugam sua alma para um ponto sem retorno, onde você precisa continuar assistindo o próximo episódio porque parar é fisicamente impossível. Normalmente eu tenho ojeriza a séries, mas meu compromisso com a procrastinação me levou a tomar a difícil decisão de começar a assistí-las.

Recentemente, descobri Twin Peaks e os resultados têm sido louváveis: o número de refeições diárias caiu de três para "quando der", os copos de água e embalagens de iogurte de soja se acumulam em volta da cama, minhas juntas reclamam quando preciso fazer qualquer esforço físico além de pegar o cabo para recarregar o computador.


Você precisa sentir ansiedade constantemente, portanto criar neuras pode te ajudar nesse processo. É importante que elas sejam 1) mais de uma e 2) contraditórias.

Por exemplo, você pode desenvolver uma leve hipocondria e passar a maior parte do seu tempo pesquisando sintomas de doenças e se autodiagnosticando pelo Google. Ao mesmo tempo, você deve ter pavor de ir ao médico e sempre adiar marcar as consultas necessárias – afinal, para ser um procrastinador, é preciso cultivar uma certa negligência com a própria saúde.



O contato com o sol vai fazer desintegrar sua preguiça! Observar pessoas andando na rua e tendo vidas produtivas te fará ter pensamentos arriscados como "Por que não saio mais de casa?" e até mesmo alcançar um estado perigoso conhecido como "vergonha na cara". Evite iluminação natural e usufrua de serviços de entrega e interações virtuais para garantir que todas as suas necessidades sejam supridas sem contato com o mundo exterior.

Quais outras dicas vocês usam para ter sucesso na procrastinação? Deixem nos comentários. Ou, sei lá, vocês podem deixar para fazer isso depois.

0 comments:

Postar um comentário

 
Mini Rage Face Crying Smiley