Image Map

AINDA QUE EU ANDASSE PELO VALE DA SOMBRA DOS MALWARES, NÃO TEMERIA MAL ALGUM


O blog acabou de ficar mil vezes mais chique com essa ilustração da Ana Terra

Existem muitas mentiras que vão te contar ao longo da vida: a camisinha saiu sem eu perceber, adorei o seu texto e, a pior de todas, Mac não pega vírus. Sempre acreditei que cairiam mil à minha esquerda e dez à minha direita, mas meu computador não seria atingido. Até que ele começou a se comportar de forma estranha. Pop-ups em branco apareciam do nada. O Yahoo abria sem eu pedir – obviamente, afinal, quem diabos usa Yahoo? Não me deixavam acessar o meu blog por conter "conteúdo que poderia prejudicar seu computador". Sei que meus textos não são lá essas coisas, mas também não é para tanto (para os preocupados, o problema está no meu computador, não na página do blog).

Vocês já devem ter percebido que eu sou uma pessoa um pouco ansiosa. Estou infectada, pensava, lendo tutorial atrás de tutorial. Perdi um bom tempo pesquisando e tentando resolver o assunto por conta própria, enquanto poderia estar fazendo coisas produtivas como descolorir os pelos da perna ou assistir a videografia completa da Hilary Duff no Youtube. Me senti a Angelina Jolie em Hackers, tirando a parte de ser sobre-humanamente gata. E a de ser boa com computadores.

Depois de passar horas enchendo o saco do meu ex-namorado no chat do Facebook, percebi que Tom Jobim estava certo: é impossível ser feliz (e ter um computador limpo) sozinho. Fiz a única coisa que qualquer mulher madura, autônoma e independente faria: chamei meu pai. Depois de reclamar da sujeira do meu teclado, ele resolveu a coisa toda em dois cliques. Ou pelo menos foi o que eu achei.

Agora meu computador vive no limbo dos infectados: às vezes os pop-ups do mal dão as caras, outras não. Me resignei a esperar o inesperado. Percebi que talvez isso seja um sinal divino para que eu abandone toda e qualquer forma de tecnologia e vire uma ermitã ludita. Para ajudar quem está também nessa missão, compilei as seguintes dicas. Vejam como a vida pode ser bem mais prazerosa sem a Internet.

VALORIZE O PRESENTE
Perdemos momentos valiosos enquanto atualizamos a timeline para olhar as fotos da viagem para Miami da atual do nosso ex. Aprecie os pequenos momentos do cotidiano, como a fila do ônibus, o engarrafamento na EPTG, o esgoto ao céu aberto e os escombros do acidente de carro na pista. Sem a distração dos smartphones, você vai conseguir prestar atenção naquela aula super interessante de Fundamentos da Química I e escutar os discursos anticotas na mesa da família no almoço de domingo.

Na balada, não afaste as pessoas parecendo ocupado no celular.  Uma pessoa parada sozinha no canto sem fazer nada pode ser muito mais interessante. Vai no show da sua banda favorita e quer registrar o momento? Nada tema. Leve sua filmadora VHS e enfie ela na cara do seu vizinho de trás. Ele vai amar o campo de visão inusitado.

COMUNIQUE-SE
Só porque você não usa as redes sociais não quer dizer você deve se isolar do mundo. Em vez de avisar por Whatsapp que você vai chegar atrasado para a sua chefe, mande uma carta. Pode acreditar, ela vai adorar o gesto de carinho. Seus fãs também não podem ficar em desvantagem só porque você deletou o Instagram e o Facebook. Tire fotos suas com uma câmera analógica e envie por correio para cada um dos seus 586 contatos. Mande cartas: "acabei de chegar da facul #cansada", "#partiu academia. FICA GRANDE PORRA!" e "Fora petralhas! Mensaleiros não passarão".

Não deixe de cultivar as amizades. Faça visitas inesperadas na casa dos amigos e ligue (no telefone fixo) para contar as novidades. Agora que você não pode simplesmente escrever "Parabéns =)" para sua tia avó na timeline dela, chegou a chance de fazer uma ligação telefônica para bater um papo caloroso. Aproveite para botar a conversa em dia quanto às varizes dela e escutá-la elocubrar sobre se o seu primo de segundo grau é mesmo "invertido" ou não.

PASSEIE
Por que baixar um disco de graça em três segundos se você pode sair de casa, ir a uma loja e pagar 35 reais por ele?  Operações bancárias vão ficar bem mais divertidas, já que no lugar de usar um computador você vai ter que ir a um banco de verdade, pegar a sua senha e esperar duas horas ao lado de um senhor de 90 anos que você não sabe se está dormindo ou se bateu as botas na fila. Como você não vai consultar os horários na Internet, ir ao cinema vai ser uma verdadeira aventura. Vá no horário que puder na esperança de assistir o filme do Wes Anderson, e acabe vendo "O que será de nozes 3D". Abrace o imprevisto.

P.S.: Caso vocês sejam paranóicos como eu, podem baixar o ClamXav para fazer uma varredura no computador. Vejam mais sobre malwares para Mac aqui.

0 comments:

Postar um comentário

 
Mini Rage Face Crying Smiley