Image Map

VOCÊ ME SECANDO E EU VIRANDO ÁGUA






Pode não parecer, mas tenho momentos de dúvida e autoquestionamento. Entre um episódio de Simple Life e a coluna de fofocas de celebridades do Jezebel, sou invadida por uma sensação de vazio. Falta um propósito na minha vida. Meus textos são apenas diatribes contra as coisas que odeio (no momento: a notificação automática de visualização de mensagens no Facebook. E homens, é claro). Preciso produzir algo que seja verdadeiramente edificante, com uma função política e social. Então venho compartilhar com vocês o meu método de lavar louças, atividade que faço com frequência, infelizmente.

Se você for um herdeiro milionário que perdeu toda a sua grana jogando poker e precisa se adaptar a uma vida miserável na qual é responsável por limpar a sujeira que faz, como acredito que boa parcela dos leitores desse blog seja (olá, Paris), esse artigo será bastante útil. Caso você seja uma pessoa de bom senso, acompanhe esse passo-a-passo para saber o que não fazer quando diante de uma pia abarrotada de arrependimentos. Lavar louça é um processo árduo, que exige preparo psicológico e condicionamento físico. Me surpreendo como a maioria de nós consegue fazê-lo cotidianamente. Somos guerreiros e vencedores.

PROCRASTINAÇÃO É SEXY
Se existe algo que aprendi com fanfics eróticas do One Direction, é que quanto mais você espera por alguma coisa, melhor será quando você de fato executá-la. Quando se trata de louça suja, você não pode simplesmente transar no terceiro capítulo. Você tem que criar um pouco de tensão sexual antes. Nesses momentos é que todas as páginas lidas da Nova da sua mãe se tornam úteis: seja difícil. Seduza. Provoque. Não se aproxime da pia enquanto a louça não estiver implorando aos berros para ser lavada. Toda a sujeira vai ter se solidificado em uma crosta dura e grudenta que você vai gastar horas esfregando, mas tudo bem, Sacher-Masoch e Lady Gaga nos ensinaram to like it rough.

YOU SET THE SCENE
Todos os vídeos de coelhinho na internet já foram assistidos e todas besteiras irrelevantes possíveis tuitadas, até que a vergonha na cara chega e não há mais para onde correr. Primeiramente, é preciso ter calma. O ambiente é tudo. Não me digno a lavar louça sem passar duas horas antes baixando discos e pesquisando a trilha sonora ideal. É preciso algo suave, intimista, levemente melancólico -- eu disse levemente. Lavar louça já é um ato desesperador o suficiente por si só, deixe o Elliot Smith e o Nick Drake para os momentos masturbação autoflagelante. Curto esses sons aqui. Qualquer coisa cantada por meninos de suéter e com cortes de cabelo tortos costuma funcionar.


Caso você seja uma pessoa animada e excelsa no multitasking, coloque algo dançante e inspirador, como o sucesso Água, da Sheila Melo. Não consigo mexer a cadeira sem espirrar detergente pra todo lado, então me atenho ao silêncio meditativo. Jamais cometa o sacrilégio de lavar louça com a tevê ligada. Aliás, nunca deixe a tevê ligada se você não estiver sentado num sofá e encarando-a diretamente, um conselho a se levar para a vida.

DETERGENTE À VISTA
Tanto na cozinha quando no cinema a mise-en-scène é fundamental. O mesmo se aplica ao triste ato de lavar louça. Tenha tudo o que você precisa à vista: detergente, esponja, palha de aço e avental, para não espirrar de espuma no Dolce & Gabanna que está usando em casa, porque você é a Danuza Leão (se você realmente for a Danuza Leão: adoro seu trabalho, me manda um e-mail). Flanelinhas, panos e afins são sempre necessários em qualquer atividade doméstica, acredite. Acrescente luvas de borracha à lista se você for aquele tipo de pessoa (metódica, obssessivo-compulsiva e secretamente um serial killer). Desse modo você evita interromper a coisa toda em pequenas buscas por objetos faltantes, cada uma te tentando para nunca mais voltar às redondezas da pia.

CARÍCIAS E PRAZER
Lavar louça é um trabalho sujo e indigno, mas isso não significa que não devemos fazê-lo com carinho. Fale com a sua louça. Sussurre palavras de afeto. Observe-a candidamente. Acaricie ela. Mas é sério, acaricie essa porra com gosto porque só assim você vai conseguir perceber se ainda restaram gordura e aquelas nojeiras todas que insistem em grudar e nunca mais sair. Não confie nos seus olhos para flagrar restos recônditos sobreviventes. Você provavelmente não vai conseguir enxergar através das lágrimas de ódio, decepção e depressão domésticos mesmo. É diante da percepção de que lavar louça é o mais próximo que chegamos da letra de Dirrty, da Cristina Aguilera, que somos acometidos pelo vazio da existência.

FIM
Agora você pode voltar a reclamar no twitter ou na rede social de sua preferência.

0 comments:

Postar um comentário

 
Mini Rage Face Crying Smiley